[Bula]

Cartulário:

Nº Documento: 
0633
Fólio: 
244v
Data do documento
Ano: 
1113
Nota: 

1109-1113. A bula não tem escatocolo, faltando-lhe, por isso, os dados para se poder datar e localizar. É, evidentemente, posterior à vinda de D. Maurício para Braga, nos princípios de 1109, e à sua primeira viagem a Roma, neste ano, em que lhe foram confirmadas as dioceses sufragâneas. Entre estas contava-se a de Coimbra, cujo bispo D. Gonçalo prestou obediência a D. Maurício, como seu metropolita (vid. Liber Fidei, doc. 139). É, por outro lado, bastante anterior às bulas Pro iniuries e Quanti criminis enviadas por Pascoal II, a 3 de Novembro de 1114, respectivamente, ao arcebispo de Toledo, D. Bernardo, e ao bispo de Coimbra, D. Gonçalo, censurando um e outro por não respeitarem os direitos metropolitanos de Braga: Fraternitatem tuam, diz ele a D. Gonçalo, missis et remissis litteris admonimus ut confratri nostro Mauricio Bracarensi archiepiscopo tanquam metropolitano tuo reuerentiam obedientiamque impenderes (Liber Fidei, docs. 555 e 556).

Documento original
Original: 
Não

Outorgante:

P(ascalis) episcopus seruus seruorum Dei. Venerabili fratri B(ernardo) Toletano archiepiscopo salutem et apostolicam benedictionem. Ad hoc per Dei gratiam metropolitanus ad hoc etiam Apostolice Sedis uicarius institutus es ut debitam omnibus iusticiam facias. Ceterum illud de te ualde miramur quod cum(a) fratri nostro Bracarensi archiepiscopo de te querendi occasionem des, cum a te nutritus et te insistente ad episcopalem cathedram per Dei gratiam sit prouectus. Queritur enim quod a Colimbriensi episcopo cum ad eius prouintiam pertineat indebitam professionem exegeris. Queritur etiam quod Asturicensi ecclesie parrochie partem uiolenter abstuleris et Salamantino episcopo dederis. Qua de re dilectioni tue precipimus ut de his eidem fratri iusticiam facias. Legionensis etiam et Ouetensis episcoporum, quos dicit ad suam prouintiam pertinere, causam diligentius audias et iusticiam exequaris. Si uero minus apud uos fieri potuerit, gestorum seriem nobis significare curabitis. In ceteris etiam negociis Bracarensem studeas ecclesiam releuare.

Aparato: 

(a) Parece que esta palavra não tem aqui qualquer sentido.

Bibliografia: 

Manuel Augusto Rodrigues, Livro Preto: Cartulário da Sé de Coimbra. Edição crítica. Texto integral, Arquivo da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1999.